sexta-feira, 23 de junho de 2006

Cabeleira do Zezé

Jorge Goulart
O uso masculino do cabelo comprido ainda não era de todo aceito no Brasil em 1964. Daí o surgimento de composições, como “Cabeleira do Zezé”, colocando em dúvida a masculinidade do usuário da nova moda. “Olha a cabeleira do Zezé / será que ele é... / será que ele é...”, dizia a marchinha, adiante arrematada com a repressiva sugestão, “corta o cabelo dele... / corta o cabelo dele...”

Mas logo mais, na segunda metade da década, estaria todo o mundo (principalmente a moçada da música popular) exibindo vastas cabeleiras, numa boa, livre de críticas ou preconceitos.

Especialista em marchinhas e vinhetas musicais para programas de televisão, João Roberto Kelly seria o último bom compositor a se dedicar à canção de carnaval tradicional sendo “Cabeleira do Zezé” lançada por Jorge Goulart, o seu abre-alas curando de uma numerosa série de sucessos carnavalescos (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).



Cabeleira do Zezé (marcha de carnaval, 1964) - João Roberto Kelly e Roberto Faissal - Intérprete: Jorge Goulart
D
Olha a cabeleira do Zezé.
              A7              D    A7
Será que ele é?  Será que ele é?
D
Olha a cabeleira do Zezé.
              A7              D    D7
Será que ele é?  Será que ele é?

   G                  D       F#7             Bm
Será que ele é bossa nova? Será que ele é Maomé
   A7               D        E7                     A7
Parece que é transviado. Mas isso eu não sei se ele é

 D              G
Corta o cabelo dele
 A7             D
Corta o cabelo dele

 D              G
Corta o cabelo dele
 A7             D   A7
Corta o cabelo dele
 
 

Nenhum comentário: