sábado, 3 de junho de 2006

Letras brasileiras

Oswaldo Montenegro
(intro)  E  A/E 

   E         A/E        E   A9/E
dez mil rubis, mil pedras turmalinas
  E      B7   C#m     G#m   C#m
cem mil cometas um milhão de sóis
 Bm    E      A   A#º
dez mil Joões mil vidas severinas
  E      B7     A   E
cem mil poetas, todos eles sós
 E       A/E        E    A9/E
em procissões, natais e serpentinas
     E    B7   C#m   G#m   C#m
dez mil mãos postas mães, irmãos, avós
      Bm      E    A     A#º
a esperança é profissão e sina
       E    B7  C    C7
ensina laços a fingir de nós
    F      Bb/F         F    Bb/F
são cem cavalos, dez luzes na crina
     F     C7  Dm    Am   Dm
são luas, muitas luas e faróis
     Cm           F            Bb   
são mil perdões, que aos bons não se incrimina
  F       C7        C#   C#7
cem mil poetas, todos eles sós
      F#       B/F#       F#   B/F#
televisões em cada casa e em cima
    F#        C#7   D#m  A#m  D#m
parece um bicho a antena e cada voz
       C#m F#       B     
parece voz que nunca desafina
       F#   B/C#     D   D7
na serenata   para o seu algoz
            G     C/G              G   C/G
milhões de versos, cem milhões de rimas
   G      D7     Em          Bm   Em
no mesmo mar são dez milhões de anzois
   Dm   G             C        C#º
pescando alma em dós, bordões e primas
          G      D7         C   G
cem mil poetas, todos eles sós

Nenhum comentário: