domingo, 30 de julho de 2006

Luz negra

Nelson Cavaquinho
Como foi dito, Nelson Cavaquinho é um dos três grandes sambistas desvendados ao grande público pela musa da bossa nova, Nara Leão, em seu elepê de estréia. Entre as músicas deste disco está um samba de título antinômico, “Luz Negra”, exemplo perfeito do estilo trágico de Nelson Cavaquinho.

Sendo um dos muitos artistas de esquerda que freqüentavam o restaurante Zicartola, para ouvir na fonte a música dos sambistas, o falecido cineasta Leon Hirszman teve, num daqueles encontros, a idéia de pedir a Nelson um tema para o seu primeiro longa-metragem. O filme era “A Falecida”, baseado na peça homônima de Nelson Rodrigues, com Fernanda Montenegro no papel principal, e a música, “Luz Negra”.

Orquestrado para o filme por Radamés Gnattali, o samba ganhou uma letra, muito elogiada e até considerada shakespeareana, o que seria um exagero: “Sempre só / eu vivo procurando alguém / que sofra como eu também / e não consigo achar ninguém / (...) / a luz negra de um destino cruel / ilumina o teatro sem cor / onde estou desempenhando o papel / de palhaço do amor...”

“Luz Negra” é o que na gíria pode ser definido como o máximo de “música para baixo”, mormente em função da adequada melodia da primeira parte, que, em linha descendente, finaliza num impressionante grave, como se estivesse chegando ao fundo de um poço.

Este samba consolidaria o seu sucesso ao ser regravado em junho de 65 por Elisete Cardoso, no elepê Elizete sobe o morro, com a participação de um grupo de bambas como Nelson Sargento, Paulinho da Viola e o Próprio Nelson Cavaquinho, que canta a segunda parte (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).



Luz negra (samba, 1964) - Nelson Cavaquinho

Tom: G#

Fm  Fm7M Fm7
Sempre só
    C#7      Fm7  C#7  Gm7/5-
Eu vivo procurando alguém
       C7       C#7  C7  Fm7
Que sofra como eu também
Fm             Bbm7   G7   C7
E não consigo achar ninguém
Fm  Fm7M Fm7
Sempre só
     C#7     Fm7   C#7  Gm7/5-
E a vida vai seguindo assim
      C7        C#7  C7  Fm7
Não tenho quem tem dó de mim
 Bbm6              Fm
Estou chegando ao fim
Fm7                 Bbm7
A luz negra de um destino cruel
Eb7           Ab7M
Ilumina o teatro sem cor
       Ab6           G7
Onde estou desempenhando o papel
               C7
De palhaço do amor
 
 

Nenhum comentário: