segunda-feira, 17 de abril de 2006

A banda

A passagem de uma banda desperta alegria e prazer em um grupo de pessoas, mergulhadas na monotonia de suas vidas insignificantes (“A minha gente sofrida / despediu-se da dor / pra ver a banda passar / cantando coisas de amor”).

Mas o encantamento tem apenas o tamanho de uma canção, voltando tudo à rotina anterior no momento em que a música deixa de ser ouvida (“Mas para o meu desencanto / o que era doce acabou / tudo tomou seu lugar / depois que a banda passou”).

Espantando a dor, a desesperança, a imobilidade, a banda simboliza a importância da música para a vida. Na visão do poeta, a música é amor, emoção, movimento; o silêncio: tristeza, sofrimento, solidão. Uma composição típica da fase inicial de Chico Buarque, com seu estilo lírico-narrativo, “A Banda” dividiu com “Disparada” o primeiro lugar no II Festival de Música Popular Brasileira da TV Record.

Seu sucesso foi fulminante, tendo o compacto de lançamento, gravado por Nara Leão, vendido 55 mil cópias em quatro dias. Porém, sua maior façanha foi entrar para os repertórios de bandas do mundo inteiro, mesmo sem ser música militar (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).


A banda (marcha, 1966) - Chico Buarque
D6/9                  A7
    Estava à toa na vi__da O meu amor me chamou
F#m7          B7          E7(9)         A7
    Pra ver a banda passar     Cantando coisas de amor
D6/9                   A7
    A minha gente sofri__da Despediu-se da dor
F#m7          B7          E7(9)         A7            D6/9
    Pra ver a banda passar     Cantando coisas de amor

        D7M                     A7
O homem sério que contava dinhei__ro parou
      Am6/C        B7        Em7         Em/D
O faroleiro que contava vanta___gem parou
      C#m7        F#7(9)        F#m7      B7
A namorada que contava  as estre____las parou
        E7(9)                 Em7(9)    A7
Para ver,    ouvir e dar passa______gem
       D7M                  A7
A moça triste que vivia cala__da sorriu
       Am6/C        B7       Em7           Em/D
A rosa triste que vivia fecha___da se abriu
        C#m7      F#7(9)
E a meninada toda se    asanhou
F#m7          B7          E7(9)         A7
    Pra ver a banda passar     Cantando coisas de amor

D6/9                  A7
    Estava à toa na vi__da O meu amor me chamou
F#m7          B7          E7(9)         A7
    Pra ver a banda passar     Cantando coisas de amor
D6/9                   A7
    A minha gente sofri__da Despediu-se da dor
F#m7          B7          E7(9)         A7            D6/9
    Pra ver a banda passar     Cantando coisas de amor

        D7M                       A7
O velho fraco se esqueceu do cansa__ço e pensou
              Am6/C    B7           Em7           Em/D
Que ainda era moço pra sair no terra___ço e dançou
       C#m7      F#7(9)       F#m7
A moça feia debruçou   na jane____la
   B7             E7(9)               Em7(9)   A7
Pensando que a ban_____da tocava pra e______la
          D7M                       A7
A marcha alegre se espalhou na aveni__da e insistiu
      Am6/C       B7         Em7         Em/D
A lua cheia que vivia escondi___da surgiu
        C#m7      F#7(9)
Minha cidade toda se    enfeitou
F#m7          B7          E7(9)         A7
    Pra ver a banda passar     Cantando coisas de amor

D6/9                     A7
    Mas para meu desencan__to O que era doce acabou
F#m7       B7           E7(9)             A7
    Tudo tomou seu lugar     Depois que a banda passou
D6/9                      A7
    E cada qual no seu can__to Em cada canto uma dor
F#m7          B7          E7(9)         A7
    Depois da banda passar     Cantando coisas de amor
D6/9          B7          E7(9)         A7
    Depois da banda passar     Cantando coisas de amor
D6/9          B7          E7(9)         A7            D6/9
    Depois da banda passar     Cantando coisas de amor


Nenhum comentário: