segunda-feira, 17 de abril de 2006

Alegria, alegria

Caetano interpretando Alegria, Alegria, no Festival da MPB de 1967

Composta num estilo cinematográfíco-descritivo, “Alegria, Alegria” focaliza a caminhada de um transeunte pelas ruas de uma grande cidade. Aliás, a idéia da canção surgiu na rua, mais precisamente durante um passeio de Caetano Veloso pelas ruas de Copacabana. Só que na composição, o passeio e a postura do passeante têm sentido metafórico, o que torna “Alegria, Alegria” uma espécie de manifesto precursor do movimento tropicalista.

Em sua caminhada vadia (“Por entre fotos e nomes / os olhos cheios de cores”), desprezando signos e convenções (“Sem lenço, sem documento”), ele deseja somente viver a aventura da liberdade sem limites (“Nada no bolso ou nas mãos /eu quero seguir vivendo / amor/eu vou / por que não? por que não?”).

Além de projetá-lo nacionalmente, a composição aproximou Caetano das vanguardas concretistas — atraindo-lhe as bênçãos de Augusto de Campos e Gilberto Mendes, entre outros e do universo do rock, a partir do momento em que ele chamou os Beat Boys para acompanhá-lo na apresentação e gravação da música.

Foi assim, sustentada pelo som eletrificado deste conjunto de iê-iê-iê, constituído por músicos argentinos, que “Alegria, Alegria”, uma marcha de melodia muito simples, sobre acordes perfeitos sem acidentes e antecedida por uma introdução elementar, classificou-se em quarto lugar no III Festival de MPB da TV Record, para a irritação dos puristas (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Alegria, Alegria (1967) - Caetano Veloso - Intérprete: Caetano Veloso

LP Caetano Veloso / Título da música: Alegria, Alegria / Caetano Veloso (Compositor) / Caetano Velo (Intérprete) / Gravadora: Philips / Ano: 1968 / Álbum: R 765.026 L / Lado A / Faixa 4 / Gênero musical: Marcha:

Intro.: ( D G B7 )2x E

                     A                B7      E
Caminhando contra o vento, sem lenço sem documento
                   A          D  B7
No sol de quase dezembro, eu vou
E                     A           B7          E
O sol se reparte em crimes, espaçonaves, guerrilhas
                 A         D  B7
Em Cardinales bonitas, eu vou
E        A  B7  A E
Em caras de presidentes
           A  B7   A   E
Em grandes beijos de amor
            A  B7   A  E
Em dentes, pernas, bandeira
            A B7  A  C#m
Bomba e Brigitte Bardot

                 F#    C#m
O sol nas bancas de revista
                 F#      C#m
Me enche de alegria e preguiça
                 D 
Quem lê tanta notícia
   A                      D
Eu vou, por entre fotos e nomes
         E7        A
Os olhos cheios de cores
                   D     B7
O peito cheio de amores vãos
    E            A            E
Eu vou, por que não, por que não

                  A                 B7           E
Ela pensa em casamento, e eu nunca mais fui à escola
                    A         D  B7
Sem lenço, sem documento, eu vou
E                 A                B7      E
Eu tomo uma coca-cola, e ela pensa em casamento
                  A        D  B7
Uma canção me consola, eu vou
E          A  B7  A  E
Por entre fo--tos e nomes
            A B7  A   E
Sem  livros e sem fuzil
           A  B7  A   E
Sem fome, sem te--le--fone
        A  B7 A  C#m
No coração do Brasil

              F#    C#m
Ela nem sabe até pensei
               F#   C#m
Em cantar na televisão
               D 
O sol é tão bonito
   A                       D
Eu vou, sem lenço, sem documento
         E7            A
Nada no bolso ou nas mãos
                   D      B7
Eu quero seguir vivendo, amor
    E
Eu vou
         A            E
Por que não, por que não
         A            E
Por que não, por que não
         A            E
Por que não, por que não
Postar um comentário