quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Falsa Felicidade

Sílvio Caldas
Sílvio Caldas

Falsa felicidade (valsa, 1938) - Paulo Medeiros

Foge de mim a esperança
Minh'alma triste se cansa
De tanto te amar em vão...

Sigo o destino traçado,
A sofrer fui condenado,
Só porque fazes questão...

Fingindo amor, me enganaste
E por fim tudo levaste
Deste que foi teu cantor...

E na canção hoje choro
Choro só porque te adoro
Serpente em forma de flor...

Só me resta agora a saudade
Da falsa felicidade,
Que o teu olhar me legou...

O teu olhar cristalino
Que para mim foi divino
Mas que meus sonhos matou...

Palhaço hoje sou do mundo
E o meu desgosto é profundo
Porque não posso esquecer
Quem, por prazer, me envenena,
Quem, por prazer, me condena
A eternamente sofrer !
Postar um comentário