segunda-feira, 29 de maio de 2006

Bonde do Camarão

Bonde do Camarão (moda-de-viola, 1929) - Cornélio Pires e Mariano da Silva - Interpretação de Caçula e Mariano



Tom: D
Intro: D

    D            
aqui em São Paulo 
                   A7
   o que mais me amola
                            D
são esses bondes que nem gaiola
                         A7
cheguei abrir uma portinhola
levei um tranco e quebrei a viola
                                  D  A7 D A7 D
inda pus dinheiro na caixa da esmola           
chegou um veio se faceirando
                           D
levou um tranco e foi cambeteando
                          A7   
beijou uma veia e saiu bufando
sentou de um lado e gritou suando
                            D    A7  D  A7  D
pra mode o vizinho ta catingando
             A7                  
entrou uma moca se arrequebrando
                         D  
no meu colo ela foi sentando
                               A7  
pra mode o bonde que estava andando
sem a tal zinha estar esperando
                            D     A7  D A A7  D
eu falo claro eu fiquei gostando
            A7               
entrou um padre bem barrigudo
                           D  
levou um tranco dos bem graúdo
                       A7  
deu um abraço num bigodudo
protestante dos carrancudo
                         D    A7  D  A7  D
que deu cavaco com o butinudo
               A7               
eu vou-me embora pra minha terra
                           D   
esta porquera inda me inguerra
                        A7  
este povo inda sobe a serra
pra mode a light que os dente ferra
                            D
nos passageiro que grita e berra
Postar um comentário