segunda-feira, 29 de maio de 2006

Serafim e seus filhos


Serafim e seus filhos (1976) - Ruy Maurity e José Jorge - Intérprete: Ruy Maurity

LP Nem Ouro, Nem Prata / Título da música: Serafim e seus filhos / Ruy Maurity (Compositor) / José Jorge (Compositor) / Ruy Maurity (Intérprete) / Gravadora: Som Livre / Ano: 1976 / Álbum: 403.6100 / Lado A / Faixa 6 / Gravações anteriores: Luiz Cláudio (1972), Ruy Maurity (1972) e Sérgio Reis (1976).


G                                       
São três machos e uma fêmea,
  por sinal Maria, 
                      C
  que com todos se parecia
D7                                     
Todos de olhar esperto para ver de perto 
                              G
  quem de muito longe é quem vinha
                           
Filhos de dois juramentos 
                  G7                  C
  todos dois sangrentos, em noite clarinha
         A         G                 D           
Ê, ah, ôôôô, o João Quebra-Bbôco, Mané Quindim, 
     C         G    D7    C    G
  Lourenço e Maria
                             
Noite alta de silêncio e lua, 
                                C
  Serafim o bom pastor de casa saía
D7                                 
Dos quatro meninos dois levavam rifles 
                                G
  outros dois levavam fumo e farinha
                              
Bandoleros de los campos verdes 
         G7                  C
  Don Quixotes, de nuestro desierto
       A         G              
Ê, ah, ôôôô, Serafim bom de corte, 
     D            C         G    D7    C    G
  Mané, João, Lourenço e Maria
                                         
Mas o tal Lourenço dos quatro o mais novo 
                            C
  era quem dos quatro tudo sabia
D                                      
Resolveu dexar o bando e partir pra longe 
                      G
   onde ninguém lhe conhecia
                      
Serafim jurou vingança: 
                 G7                C
  filho meu não dança, conforme a dança
         A         G            
Ê, ah, ôôôô, e mataram Lourenço, 
       D          C      G      D7    C    G
   em noite alta de lua mansa
                       
Todo mundo dessas redondezas 
                                       C
   conta que o tal Lourenço não deu sossêgo
D                             
Fez cair na vida sua irmã Maria 
                               G
   e os outro dois matou só de medo
                                   G7                C
Serafim depois que viu o filho lobisomem, perdeu o juízo
       A         G          
Ê, ah, ôôôô, e morreu sete vezes, 
     D               C       G     D    C    G    D    G
   até abrir caminho pro paraíso.

Um comentário:

  1. A música é uma lenda que conta a história de um aventureiro,cangaceiro e saqueador que tinha quatro filhos, sendo o Lourenço mais ousado, inteligente,astúcio e desafiador, o que o diferenciava dos demais. Seus olhares eram visto como esperto mesmo por pessoas distantes e eles eram proativos.Subentende que o juramento foi um pacto com o próprio sangue do casal. João quebra toco devido apresentar mais força física enquanto o Mané Quindim símbolizava o mais sensível, dócil e Maria a figura da Mulher ora esperta ora frácil.Serafim bom pastor porque sempre tinha o compromisso consigo mesmo em sair as altas horas da noite para caçar, ora se aventurar e por isso "bom de corte", ou seja, bom no alvo. Bondeleros era visto como um grupo de cangaceiros. Lourenço abandonou o bando por já ter feito uma leitura própria da família que tinha e preferir seguir seu próprio destino, sem precisar de obedecer ninguém, todavia, ao fazer essa escolha seu pai prometeu vingança e usou os próprios filhos para cumprir sua vingança e acabaram mantando o filho de personalidade forte. Após sua morte tudo virou uma maldição, a Maria que simboliza a figura feminima sensível acabou sendo seduzida pela prostituição com ajuda da maldição do irmão morto,os outros dois irmaos de obediência ao pai sem escrúpulo acabou morrendo só de medo com a falta de personalidade própria. O serafim além de ter perdido o juiz morreu sete vezes simbolicamente: morte no juramento, morte ao perder o filho do bando, morte ao tirar a vida do próprio filho, morte dos dois filhos, morte em perder a filha na prostituiçao e por fim a sua, indo para o além.

    ResponderExcluir