segunda-feira, 29 de maio de 2006

Boate azul


Boate Azul (guarânia, 1985) - Benedito Seviero e Aparecido Tomás de Oliveira - Intérprete: Joaquim e Manoel

LP Joaquim e Manoel - Pelos Caminhos Da Vida / Título da música: Boate Azul / Benedito Seviero (Compositor) / Aparecido Tomás de Oliveira (Compositor) / Joaquim e Manoel (Intérprete) / Gravadora: Sertanejo / Chantecler / Ano: 1985 / Álbum: 2.11.405.688 / Lado B / Faixa 1 / Gênero musical: Guarânia / Regional / Sertanejo


Tom: F

Intro: Gm  C  F  Dm  Gm  A  Dm  D7

Dm                                        C
Doente de amor procurei remédio na vida noturna.
               Bb                              A7   D7
Como a flor da noite em uma boate aqui na zona sul.
          Gm                               Dm
A dor do amor é com outro amor que a gente cura.
            A7                             Dm     D7
Vim curar a dor deste mal de amor na boate azul.
           Gm                                     Dm
E quando a noite vai se agonizando no clarão da aurora.
       A7                                 Dm      D7
Os integrantes da vida noturna se foram dormir.
            Gm                                   Dm
E a dama da noite que estava comigo também foi embora.
               Bb                A7            D
Fecharam-se as portas sozinho de novo tive que sair.

            A                   G              D
Sair de que jeito, se nem sei o rumo para onde vou.
                                A             G                D
Muito vagamente me lembro que estou. Em uma boate aqui na zona sul
          A             G                  D
Eu bebi demais e não consigo me lembrar se quer.
                          A               G     A        D
Qual era o nome daquela mulher, a flor da noite da boate azul.

( Dm  C  F  Dm  Gm  A7  Dm  D7 )

           Gm                                     Dm
E quando a noite vai se agonizando no clarão da aurora.
       A7                                 Dm      D7
Os integrantes da vida noturna se foram dormir.
            Gm                                   Dm
E a dama da noite que estava comigo também foi embora.
               Bb                A7            D
Fecharam-se as portas sozinho de novo tive que sair.

            A                   G              D
Sair de que jeito, se nem sei o rumo para onde vou.
                                A             G                D
Muito vagamente me lembro que estou. Em uma boate aqui na zona sul
          A             G                  D
Eu bebi demais e não consigo me lembrar se quer.
                          A               G     A        D
Qual era o nome daquela mulher, a flor da noite da boate azul.
Postar um comentário