quarta-feira, 10 de maio de 2006

O Menino de Braçanã

Roberto Paiva
Roberto Paiva (pseudônimo de Helim Silveira Neves), morto no dia 31 de julho deste 2014, aos 93 anos (sem qualquer divulgação por grande parte da imprensa), foi o criador, entre outras músicas, desta clássica toada, lançada pela Sinter em outubro de 1953, disco 00-00.269-B, matriz S-587. Posteriormente, Ivon Cúri e o próprio Luiz Vieira fariam seus registros, confirmando e aumentando o sucesso da composição. Braçanã é uma localidade do estado do Rio de Janeiro onde morava o tio de Luiz Vieira, Augusto. 

Um menino costumava, com seu jumentinho, buscar farinha na casa de Augusto e retornar no mesmo dia, sem atender aos apelos para que parasse, a fim de evitar supostas assombrações noturnas, conforme recomendação de sua mãe. O menino mostrava um crucifixo e dizia não ter medo de tais assombrações porque andava com Jesus Cristo em seu coração. O samba "Trem das onze", de Adoniran Barbosa, sucesso em 1964, é uma paráfrase desta toada (pela qual Adoniran era apaixonado), feita com a devida permissão de Luiz Vieira. Braçanã passou a Jaçanã (bairro paulistano) e ficou a ideia da necessidade de voltar cedo por causa da mãe. Fonte: Samuel Machado Filho





O menino de Braçanã (toada, 1954) - Luís Vieira e Arnaldo Passos - Intérprete: Roberto Paiva
Tom: A  

     A              E7
  é tarde eu já vou indo
                A
  preciso ir embora
          E7
  até amanhã
     A            E7
  mamãe quando eu sai
                      A
  disse menino não demore
           E7
  em Braçanã

 Am                 E7                Am              E7
  se eu demoro mamãezinha tá a me esperar prá me castigar
           Dm            E7   Am
  tá doido moço não faço isso não
                         E7             A
  vou-me embora, vou sem medo da escuridão
                         E7                   A
  quem anda com Deus não tem medo de assombração
                     E7                A
  eu ando com Jesus Cristo no meu coração
Postar um comentário