quinta-feira, 11 de maio de 2006

A volta do boêmio


Português de nascimento, mas criado no subúrbio carioca de Campo Grande, Adelino Moreira de Castro interessou-se desde cedo pela música chegando a gravar como cantor vários discos de fado nos anos quarenta. Entretanto, a partir de 1952, como autor de sambas e sambas-canção, ele conheceu o sucesso, tornando-se o principal abastecedor do repertório de Nelson Gonçalves.

O êxito dessa sociedade chegou ao auge em 1957 quando "A Volta do Boêmio" (que permanecera inédito por quatro anos) atingiu a marca de um milhão de discos vendidos. Num estilo, que mais tarde seria chamado de brega-romântico, este samba-canção trata de um personagem que tendo abandonado a boemia pelo amor a uma mulher, pede agora "inscrição" para voltar à vida antiga: "Boemia / aqui me tens de regresso / e suplicante te peço / a minha nova inscrição / voltei pra rever os amigos que um dia / eu deixei a chorar de alegria / me acompanha o meu violão...".

E a composição prossegue com o ex-boêmio declarando que seu retorno tem a aprovação da amada, que, resignadamente, o encorajou na despedida: "Vá embora/ pois me resta o consolo e alegria / de saber que depois da boemia / é de mim que você gosta mais".

Um clássico da música sentimental popular, "A Volta do Boêmio" é um dos grandes sucessos de Nelson Gonçalves, o cantor que tem o maior número de gravações na discografia brasileira.

A volta do boêmio (samba-canção, 1957) - Adelino Moreira - Intérprete: Nelson Gonçalves




Am                        Dm
Boemia, aqui me tens de regresso
                 E7 Dm                   Am       E7
E suplicante te peço a minha nova inscrição
  Am                               G
Voltei pra rever os amigos que um dia
                           F                         E     E7
Eu deixei a chorar de alegria, me acompanha o meu violão
   Am                         Dm
Boemia, sabendo que andei distante
                     E7    Dm            Am
Sei que essa gente falante vai agora ironizar
A7     D7                        Am
Ele voltou, o boêmio voltou novamente
                     Dm       E7                 Am    E7
Partiu daqui tão contente por que razão quer voltar?
     Am                                 G
Acontece que a mulher que floriu meu caminho
                          F                              E   E7
De ternura, meiguice e carinho, sendo a vida do meu coração
    Am                                 G
Compreendeu e abraçou-me dizendo a sorrir
                        F                        E    E7
Meu amor, você pode partir, não esqueça o seu violão
   Am                                 G
Vai rever os seus rios, seus montes, cascatas
                      F                            E    E7
Vá sonhar em novas serenatas e abraçar seus amigos leais
A7     Dm                                Am
Vai embora, pois me resta o consolo e alegria
                          Dm
De saber que depois da boemia
      E7                 Am
É de mim que você gosta mais

Nenhum comentário: