segunda-feira, 22 de maio de 2006

Coração de luto

Teixeirinha 1961
O senhor Vítor Mateus Teixeira, conhecido como Teixeirinha, nascido na cidade de Rolante, RS, em 3/3/1927, iniciou a carreira apresentando-se em circos e emissoras de rádio do interior gaúcho. Posteriormente apresentou-se em Porto Alegre, cantando em churrascarias e programas folclóricos.

Em 1959, gravou seu primeiro disco, onde interpretou o arrasta-pé "Briga no batizado" e o xote "Xote soledade", ambos de sua autoria. O disco não alcançou grande repercussão e ainda gravaria, naquele mesmo ano, mais dois discos.

Em 1960, gravou o xote "Gaúcho de Passo Fundo" e a toada-milonga "Coração de luto", ambas de sua autoria. Com "Coração de luto", conheceu seu grande sucesso. A toada, composta quase ao acaso, tornou-se um clássico, com mais de um milhão de cópias vendidas, sendo gravada em 21 idiomas. Narra, em melodia e versos tristíssimos, a morte da mãe, carbonizada num incêndio, tragédia realmente ocorrida quando o compositor tinha nove anos.

Coração de luto (toada, 1960) - Teixeirinha - Intérprete: Teixeirinha

Disco 78 rpm / Título da música Coração de luto / Teixeirinha, 1927-1985 (Compositor) / Teixeirinha, 1927-1985 (Intérprete) / Acompanhamento (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Sertanejo, 1960 / Nº Álbum 10104 / Lado B / Gênero musical: Toada milonga.

Intro: Am Em B7 Em 
 
                   B7                        Em 
O maior golpe do mundo que eu tive na minha vida 
                    B7                       Em 
Foi quando com nove anos perdiminha mae querida 
                    B7                       Em 
Morreu queimada no fogo morte triste e dolorida 
                  B7                         Em 
Que fez minha maezinha dar o adeus da despedida 
 
                  B7                      Em 
Vinha vindo da escola quando de longe avistei 
                   B7                       Em 
O rancho que nos morava cheio de gente encontrei 
                        B7                 Em 
Antes que alguem me dissesse eu logo imaginei 
                   B7                       Em 
Que o caso era de morte da maezinha que eu amei 
 
Intro 
                     B7                  Em 
Seguiu num carro de boi aquele preto caixao 
                  B7                   Em 
Ao lado eu ia chorando a triste separacao 
                    B7                       Em 
Ao chegar no campo santo foi maoir a exclamacao 
                    B7                   Em 
Taparam com terra fria minha mae do coracao 
 
                B7                          Em 
Dali eu sai chorando por mao de estranho levado 
                        B7                    Em 
Mas nao levou nem dois meses no mundo fui atirado 
                      B7                 Em 
Com a morte da minha mae fiquei desorientado 
                  B7                  Em 
Com none anos apenas por ese mundo jogado 
 
Intro 
                    B7                     Em 
Passei fome passei frio por esse mundo perdido 
                  B7                     Em 
Quando mamae era viva me disse filho querido 
                      B7                      Em 
Pra nao roubar nao matar nao ferir nem ser ferido 
 
                       B7                     Em 
Descansa em paz minha mae eu cumprirei seu pedido 
                    B7                        Em 
O que me resta na mente minha maezinha e teu vulto 
                B7                         Em 
Recebas uma oracao deste filho que e teu fruto 
                      B7                    Em 
Que dentro do peito traz o seu sentimento oculto 
                 B7                      Em  
Desde nove anos tenho o meu coracao de luto  Bis 


A Canção no Tempo - Vol.2 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34
Postar um comentário