quarta-feira, 10 de maio de 2006

A fonte secou

Monsueto
"A Fonte Secou", o melhor samba carnavalesco de 54, é o segundo sucesso (o primeiro foi "Me deixa em paz") de Monsueto Menezes. Homem de múltiplas atividades - baterista, pintor, comediante -, Monsueto foi principalmente compositor, um dos raros sambistas de qualidade surgidos nos anos cinqüenta. Espirituosos, salpicados de tiradas "filosóficas", seus sambas têm, algumas vezes, até um certo sentido de crítica social ("Lamento da Lavadeira", "Na Casa do Antônio Jó" etc.).

Antes da gravação de Raul Moreno, "A Fonte Secou" foi oferecida à cantora Marlene que a rejeitou, lamentando depois a oportunidade perdida de lançar este clássico. Atestando sua qualidade, várias composições de Monsueto tiveram regravações importantes como as de "Me deixa em paz" (Milton Nascimento e Alaíde Costa), "Mora na filosofia" (Caetano Veloso) e "A Fonte Secou" (Maria Bethânia).



A fonte secou (samba/carnaval, 1954) - Monsueto C. Menezes e Mário Barbato - Intérprete: Raul Moreno

(G)---(E7) -----Am ----D7 ----------------Am ---------B7
Eu não sou água / ------- Pra me tratares assim
-----------Em-------- A7 ----------------Am---------- D7 -----G
Só na hora da sede /---- É que procuras por mim
-------C7+---- G ---G7------------ C7+ -----------Am
A fonte secou / -------Quero dizer que entre nós
------D7----- G--- D7------------------------- G
Tudo acabou / ------Seu egoísmo me libertou
----------------C7 ----B7---- Em--- G7 ----Db0------ Gb7------- Bm----- E7
Não deves mais me procurar / ----- A fonte do nosso amor secou
-------------------A7------------------------ D7 --------E7
Mas os seus olhos / Nunca mais hão de secar

Nenhum comentário: