domingo, 4 de junho de 2006

Apelo

Elizeth Cardoso
Pertencendo, como foi dito, à linha chopiniana adotada por Tom Jobim em “Insensatez” e “Retrato em Branco e Preto”, “Apelo” é um dos maiores sucessos da dupla Baden Powell-Vinícius de Moraes. Sucesso que, pode-se afirmar, se deve em boa parte à bela melodia de Baden, superior à letra de Vinícius (“Ah! Meu amor não vás embora / vê a vida como chora / vê que triste esta canção...”), romântica, bem construída, mas sem o brilho de tantas outras desse período de produção intensa, em que ele abasteceu repertórios de vários parceiros.

Lançado por Sílvio Aleixo no início de 66, “Apelo” ganhou nesse ano gravações memoráveis como a de Elizeth Cardoso, dramática, densa, emocionada, a de Dóris Monteiro, tranqüila, intimista, ou a do próprio Baden, um primor de sensibilidade e técnica violonística (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Apelo (samba, 1966) - Baden Powell e Vinícius de Moraes - Interpretação: Elizeth Cardoso

LP Muito Elizeth / Título da música: Apelo / Baden Powell (Compositor) / Vinicius de Moraes (Compositor) / Elizeth Cardoso (Intérprete) / Gravadora: Copacabana / Ano: 1966 / Álbum: CLP 11483 / Lado B / Faixa 2 / Gênero musical: Samba.

Em7                   D#m5+/6
Ah, meu amor não vá embora
                 Dm6                       Am7  E5+/7
Vê a vida como chora, vê que triste esta canção
Am7         B7/9-          Em7
Não, eu te peço não te ausentes
       Dm6            C7+            F7+        B4/7 B7
Pois a dor que agora sentes só se esquece no perdão
Em7                   D#m5+/6
Ah, minha amada me perdoa
                     Dm6      E7          Am7 E5+/7
Pois embora ainda te doa a tristeza que causei
Am7      A#°         Em7            C7+           F#m5-/7
Eu te suplico não destruas tantas coisas que são tuas
      B7               Em7  B7
Por um mal que eu já paguei
Em7                    D#m5+/6
Ah, minha amada se soubesses
                        Dm6
Da tristeza que há nas preces
                     Am7 E5+/7
Que a chorar te faço eu
Am7      B7/9-        Em7    Dm6        C7+
Se tu soubesses num momento todo arrependimento
     F7+         B4/7 B7
Como tudo entristeceu
 Em7                     D#m5+/6
Se tu soubesses como é triste
                  Dm6
Em saber que tu partiste
                   Am7 E5+/7
Sem sequer dizer adeus
Am7   A#°           Em7
Ah, meu amor tu voltarias
     C7+      F#m5-/7
E de novo cairias
    B7               Em7
A chorar nos braços meus
Postar um comentário