quarta-feira, 7 de junho de 2006

Castigo




Roberto Luna
Situada na fronteira da canção tradicional com a bossa nova, a obra de Dolores Duran a credencia como uma das maiores letristas da música brasileira.

Um de seus primeiros sucessos, o samba “Castigo”, desenvolve de forma primorosa o tema do arrependimento, da culpa assumida ante a perda de um amor irrecuperável. É uma confissão sofrida, conformada, cantada em palavras simples — “eu tive orgulho / e tenho por castigo / a vida inteira / pra me arrepender...” —, o que dá encanto maior ao poema.

“Castigo” marcou a carreira de Roberto Luna, um bom intérprete desse tipo de música, que atuou principalmente na noite paulista.

Castigo (samba-canção, 1958) - Dolores Duran - Interpretação: Roberto Luna

D         Em              A7                 F#m
A gente briga, diz tanta coisa que não quer dizer
         Bm                 Em
Briga pensando que não vai sofrer
             A7            D
Que não faz mal se tudo terminar
         Em           A7                F#m
Um belo dia a gente entende que ficou sozinha
        Bm                  Em
Vem a vontade de chorar baixinho
        A7               D
Vem o desejo triste de voltar
         Em               A7               F#m
Você se lembra, foi isso mesmo que se deu comigo
          Bm                  Em
Eu tive orgulho e tenho por castigo
          A7             D
A vida inteira pra me arepender
         Em
Se eu soubesse
         A7            D
Naquele dia o que sei agora
        Bm                 Em
Eu não seria esse ser que chora
         A7          D7
Eu não teria perdido você
         Em
Se eu soubesse
         A7            D
Naquele dia o que sei agora
        Bm                    Em
Eu não seria essa mulher que chora
         A7           D
Eu não teria perdido você
Postar um comentário