segunda-feira, 12 de junho de 2006

Mamonas Assassinas


Mamonas Assassinas - Grupo de música pop formado em 1989 em Guarulhos SP, por Sérgio Reoli (São Paulo SP 1969 - id. 1996), baterista; seu irmão, Samuel Reoli (São Paulo 1974—id 1996), contrabaixista; e um amigo, Alberto, guitarrista.

Em 1990, durante um show, Dinho (Alecsander Alves, Irecê BA 1971- São Paulo 1996) pediu para “dar uma canja” e tornou-se o vocalista do grupo. Com a saída de Alberto, entraram o tecladista Júlio Rasec (Guarulhos 1968—São Paulo 1996) e o guitarrista Bento Hinoto (São Paulo 1970—id. 1996). Em 1991, com o nome Utopia, o grupo gravou um LP independente na linha pop-rock.

Em 1994, incluindo canções satíricas em seu repertório e com o novo nome de Mamonas Assassinas, produziram uma fita-demo que circulou por várias gravadoras. Convencido por seu filho, o diretor artístico da EMI decidiu contratar o grupo. O LP/CD Mamonas Assassinas, lançado em meados de 1995, tornou-se um dos mais vendidos de todo o pop brasileiro, com sucessos como Vira vira e Robocop Gay (ambas de Dinho e Julio Rasec), Pelados em Santos (Dinho) e Sábado de sol (do grupo Baba Cósmica), que parodiavam os diferentes estilos da música popular da época; sertanejo romântico, heavy metal, pop-rock, pagode, brega.

Na madrugada de 2 de março de 1996, todos os integrantes do grupo morreram quando o avião que os trazia de um show colidiu com uma montanha na região paulistana da Serra da Cantareira. Em 1997, a produtora e cantora Mireila Zaccanini, ex-namorada de Dinho, produziu e lançou o CD independente Utopia a fórmula do fenômeno, reunindo ensaios e demonstrações do grupo.

CD: Mamonas Assassinas, 1995, EMI 835082-2.

Músicas cifradas:

1406
Bois don't cry
Cabeça de bagre II
Chopis Centis
Jumento Celestino
Lá vem o alemão
Mundo animal
Pelados em Santos
Robocop gay
Sábado de sol
Sabão crá-crá
Uma Arlinda mulher
Vira-vira


Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha.
Postar um comentário