segunda-feira, 9 de julho de 2007

Tio Duda

Luiz Vicentini
                  C
Sob a sombra da figueira apeava da égua Pampa;
G
Preparava a fogueira, enquanto a tarde ainda caía.
F                                    C
Reunia a peãozada ao som de moda de viola,
G
Contava boas e velhas histórias,
F          G          C
Nas tantas cavalgadas que fazia.
Em sua simplicidade e com alma de um poeta,
Quis bondade e alegria transformada em verso e prosa.
Fez da vida sua escola, e sua casa : a natureza,
Como a luz de um lampião com sua beleza,
Mantém acesa a chama vida afora.
F                                            C
Este homem ainda hoje é quem conduz toda a boiada,
G
É quem está com as mãos nas rédeas, nessa estrada,
F            G       C       C7
Que somente os olhos da alma podem perceber agora...
F                                            C
E onde houver boas histórias e peões de boiadeiro
G
Ao redor de uma fogueira, cavalgadas, violeiros,
F         G        C           C7
Tio Duda vai estar pra sempre.
(Tio Duda vai estar com a gente).

Postar um comentário