terça-feira, 2 de maio de 2006

Exaltação à Bahia

Heleninha Costa
Diretor musical do Cassino da Urca entre 1934 e 1945, Vicente Paiva compôs vários sambas-exaltação para os finais apoteóticos dos shows da casa, em que todo o elenco ocupava o palco -, as vedetes à frente, com suas fantasias emplumadas. Desse repertório destacou-se "Exaltação à Bahia", que Heleninha Costa, lady-crooner do cassino em 1943, transformou no maior sucesso de sua carreira.

Seguindo o esquema grandiloquente do gênero, o samba exalta poetas e heróis baianos, além das graças habituais da Boa Terra, em letra do revistógrafo português Chianca de Garcia.

Exaltação à Bahia (samba, 1943) - Vicente Paiva e Chianca de Garcia

Disco 78 rpm / Título da música: Exaltação à Bahia / Autoria: Garcia, Chianca de (Compositor) / Paiva, Vicente, 1908-1964 (Compositor) / Costa, Heleninha, 1924-2005 (Intérprete) / Gaó (Acompanhante) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Continental, Março/1943-Dezembro/1943 / Nº Álbum 15055 / Gênero musical: Samba /

Oi, Bahia! / Umbu, vatapá e azeite de dendê
Tem muamba / Pra nego bamba fazê canjerê
Um nome à história vou buscar / Sargento Camarão
Herói foi da Bahia / Castro Alves nos faz reclamar
Tempos da Abolição / Poeta da Bahia

Rui Barbosa, fogo triunfal / Voz da raça e do bem
O gênio da Bahia / E há nesse todo natural
Que a baiana tem / A graça da Bahia

A Bahia tem convento / Tem macumba e tem muamba
Mas onde ela é mais Bahia / É no batuque e no samba
Ai, foi na Bahia / Das Igrejas todas de ouro
Onde valem as morenas / Um tesouro, como nenhum
Como nenhum pode haver / Salve a baiana

Com sandália e balangandã / Vai mostrar ao mundo inteiro
Nosso samba brasileiro / E da auriverde Bahia, oi
Alegria, oi, do Brasil / Brasil (oba)
Postar um comentário