terça-feira, 2 de maio de 2006

Rosa de Maio

Na primeira metade dos anos quarenta os foxes brasileiros viveram seu período de maior evidência. Era um dos gêneros musicais preferidos pela classe média e sua presença se fazia obrigatória nos bailes grã-finos e em cassinos onde havia música para dançar.

Adotado principalmente por compositores que não usavam o samba como meio de expressão preferencial, nosso fox-canção teve em Custódio Mesquita (foto) um de seus melhores autores, contando-se em seu repertório obras-primas como "Nada Além", "Mulher" e "Rosa de Maio". Neste último, a alternância de frases nos modos menor e maior ressalta uma das grandes virtudes do Custódio compositor, ou seja, seu requintado jogo harmônico.

Lançado por Carlos Galhardo, "Rosa de Maio" é a composição mais conhecida entre as quase trinta deixadas pela dupla Custódio Mesquita e Evaldo Rui.

Rosa de maio (fox-canção, 1944) - Custódio Mesquita e Evaldo Rui

Disco 78 rpm / Título da música: Rosa de maio / Autoria: Mesquita, Custódio, 1910-1945 (Compositor) / Rui, Evaldo, 1913-1954 (Compositor) / Galhardo, Carlos, 1913-1985 (Intérprete) / Mesquita, Custódio, 1910-1945 (Acompanhante) / Orquestra (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Victor, 18/02/1944 / Nº Álbum 800175 / Gênero musical: Fox


-------------Am----------- B7-------------------- A7
Rosa de Maio / É meu desejo / Mandar-te um beijo
--------------Dm------------- E7 --------------Am
Nesta canção... / Rosa de Maio... / Deste poema
------------F--------------- E7 ---------Am
Tu és o tema / E a inspiração / Rosa de Maio...
--------------B7 --------------A7 ---------Dm-- A7-- Dm
Já não consigo / Guardar comigo / Tanta paixão!
-------------Eb°------------------ Am
Rosa de Maio / Por qualquer preço
----------F ---E7---- Am --Dm-- Am
Eu te ofereço / Meu coração!



Fonte: A Canção no Tempo - Vol. 1 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34.

2 comentários:

  1. Everardo,
    O ano dessa gravação é 1956. A gravação de Carlos Galhardo é que deve ser de 1944. Mas o que vale é que você nos oferece uma raridade, essa interpretação de Orlando Silva, que, na época ouvai na casa de um irmão. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Everardo,
    Essa gravação é de 1956. 1944 deve ser o da gravação de Carlos Galhardo. Mas o que vale é que você me proporcionou uma grande alegria, pois não ouvia essa música na interpretação do genial Orlando desde 1956. Na época, eu morava na casa de um irmão, de cuja discoteca Rosa Maio fazia parte. Um abraço.
    Francisco Sobreira

    ResponderExcluir