terça-feira, 2 de maio de 2006

Terra seca

Numa entrevista à Revista da Música Popular, em 1954, Ary Barroso apontou "Terra Seca" como sua música predileta, entre as tantas que havia feito. Com uma melodia elaborada, bem adequada a vozes de registro grave, a canção aborda o drama do trabalho do negro escravo no Brasil:

"O nego tá moiado de suó / trabaia, trabaia, trabaia nego... / a mão do nego tá que é calo só / trabaia, trabaia, trabaia nego...". Embora, com o passar do tempo, alguns tenham-na considerado conformista, com o personagem numa postura submissa, "Terra Seca" permanece como um clássico.

Terra Seca (samba, 1943) - Ary Barroso

Disco 78 rpm / Título da música: Terra seca (1ª parte) / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Coro do Apiacás (Intérprete) / Déo (Intérprete) / Napoleão (Acompanhante) / Soldados Musicais (Acompanhante) / Trio Panicali (Acompanhante) / Panicali, Lírio (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Continental, 1944 / Álbum 15179 / Gênero: Samba


Disco 78 rpm / Título da música: Terra seca (2ª parte) / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Coro do Apiacás (Intérprete) / Déo (Intérprete) / Napoleão (Acompanhante) / Soldados Musicais (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Continental, 1944 / Álbum 15179 / Gênero: Samba

Primeira Parte:

  Am            D7     Am
O nêgo tá, moiado de suó
  Ab5+       C     Am6       Ab5+      C      Am6
Trabáia, trabáia, nêgo  /  Trábaia, trabáia nêgo
     Dm           Gm6        A7       Dm
As mãos do nêgo tá que é calo só
  Db5+     F      Dm6  Dm     Db5+       F       Dm6  Dm
Trabáia, trabáia nêgo  /       Trabáia, trabáia, nêgo
D7          G7                           [ C ]
Ai “meu sinhô”nêgo tá véio    /   Não agüenta !
[C  ]                  F         E7   Am
Essa terra tão dura, tão seca, poeirenta... 
Ab5+     C     Am6        Ab5+       C     Am6
Trabáia, trabáia nêgo   /  Trabáia, trabáia, nêgo
Am            D7         Am
O nêgo pede licença prá falá
   Ab5+     C      Am6
Trabáia, trabáia, nêgo
 Am    Am/C      Bm7  E7       Dm7 Bm7 E7
O nêgo não pode mais trabaiá

Segunda Parte:

  A       Gb7   Bm7   E7    A  Dm7  Bm7  E7
Quando o nêgo chegou por aqui
  A       Gb7      Bm7    E7     A  G7  Gb7
Era mais vivo e ligeiro que o saci
  Bm                    Gb7                       Bm
Varava estes rios, estas matas, estes campos sem fim
  B7                                       E7   E5+
Nêgo era moço, e a vida, um brinquedo prá mim
 A              Dbm
Mas o tempo passou
         Gb7          Bm
Essa terra secou ...ô ô
       Dm                         E7
A velhice chegou e o brinquedo quebrou ....
   A7                                    D7+
Sinhô, nêgo véio tem pena de têr-se acabado 
    [B7]                      E7       A   Gb7 B7 E7 [A]
Sinhô, nêgo véio carrega este corpo cansado
[Dm]  [A]
ô ô


A Canção no Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Vol. 1 - Editora 34
Postar um comentário