terça-feira, 2 de maio de 2006

Laurindo

Trio de Ouro
Para o carnaval de 43, Herivelto Martins usou o personagem Laurindo, um sambista que "Sobe o morro gritando: não acabou a Praça Onze, não acabou". E partindo desse personagem, desenvolveu um samba que seria uma espécie de continuação de "Praça Onze", até mesmo repetindo com o Trio de Ouro o clima do sucesso anterior.

O samba foi muito cantado e o personagem continuou "vivendo" em outras composições como "Às Três da Manhã", do próprio Herivelto, e "Cabo Laurindo", em que Haroldo Lobo e Wilson Batista o transformaram em "pracinha", que vai à guerra e volta condecorado.

Refletindo o momento de exaltação patriótica, que se vivia na ocasião, com o Brasil acabando de declarar guerra à Alemanha e à Itália, os versos finais do samba "Laurindo" descreviam uma cena em que a escola largava a bateria no chão e ia-se embora, enquanto a pirâmide ia "Aumentando, aumentando". Esta pirâmide é uma referência às "pirâmides" de objetos, de preferência metálicos, que o governo incentivava o povo a doar para o chamado esforço de guerra brasileiro.

Laurindo (samba/carnaval, 1943) - Herivelto Martins

Disco 78 rpm / Título: Laurindo / Autoria: Martins, Herivelto (Compositor) / Trio de Ouro (Intérprete) / Conjunto Odeon (Acompanhante) / Imprenta [S.l.]: Odeon, 1942 / Nº Álbum 12257 / Lado A / Gênero: Samba /

Laurindo sobe o morro gritando
Não acabou a Praça Onze, não acabou
Vamos esquentar nossos tamborins
Procura a porta-bandeira
E põe a turma em fileira
E marca ensaio pra quarta-feira

E quando a escola de samba chegou
Na Praça Onze não encontrou
Mais ninguém
Não sambou
Laurindo pega o apito
Apita a evolução
Mas toda a escola de samba
Largou a bateria no chão
E foi-se embora cantando
E daí a pirâmide foi aumentando, aumentando


Fonte: A Canção no Tempo - Vol. 1 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34.

Nenhum comentário: