quarta-feira, 10 de maio de 2006

Vida de bailarina


"Quem descerrar a cortina / da vida da bailarina / há de ver cheio horror (... ) Que ela é forçada a enganar / mal vivendo pra dançar / mas, dançando pra viver". Estes versos, que iniciam e terminam "Vida de Bailarina” dão bem o tom do samba-canção em que Chocolate e Américo Seixas finalizam a vida da bailarina de dancing.

Personagens típicas da noite carioca nos anos trinta e quarenta, essas bailarinas serviram de motivo a algumas composições como "Garota do Dancing", de Alberto Ribeiro e Jorge Faraj. Nenhuma, entretanto, alcançaria o prestígio de "Vida de Bailarina", lança Ângela Maria em 1954 e revisitada por Elis Regina, dezoito anos de representante ilustre da classe foi Elizeth Cardoso, bailarina antes de se tornar cantora profissional.

Vida de bailarina (samba-canção, 1954) - Américo Seixas e Chocolate - Intérprete: Ângela Maria




Intro: E5+/7

A7+      D#º          C#m7  F#5+/7
Quem descerrar a cortina
                 Bm7
Da vida da bailarina
       A#7+          C#m7 C7 Bm7 E7
Há de ver cheio de horror
A7+     F#m     B7    E  
Que no fundo do seu peito
                   F#m7
Abriga um sonho desfeito
        B7           Bm7 E7
Ou a desgraça de um amor
A7+      D#º       C#m7 F#5+/7
Os que compram o desejo
                Bm7
Pagando amor a varejo
      A#7+       A7+  Em7 A7
Vão falando sem saber
     D7+    D#º        Em6
Que ela é forçada a enganar
       F#7        Dm7
Não vivendo pra dançar

Nenhum comentário: