quarta-feira, 12 de abril de 2006

Jerry Adriani

Jerry Adriani (Jair Alves de Sousa), cantor e compositor, nasceu em São Paulo SP, em 29/11/1947. Filho de operários, aos quatro anos de idade aprendeu canções italianas com a avó materna e, dos sete aos nove anos, estudou acordeom. Em 1959 iniciou o aprendizado de canto, freqüentando durante quatro anos os conservatórios de Santo André SP e São Caetano SP. Nessa época participou do coral da Associação Cultural e Artística de São Caetano.

Sua estréia no rádio, ainda como amador, foi no programa Galera do Nelson, da Rádio Nacional, de São Paulo. Em seguida, usando o pseudônimo de Jerry, atuou no programa Ritmos para a Juventude, de Antônio Aguilar. De 1962 a 1964 foi crooner do conjunto Os Rebeldes, interpretando um repertório de baladas italianas, rocks e canções românticas. Como integrante desse conjunto, iniciou sua carreira na TV Tupi, de São Paulo, e, contratado pela CBS, em 1964 gravou seu primeiro LP, Italianíssimo. Nessa ocasião, adotou o nome artístico de Jerry Adriani, estreando também como autor em 1965 com Só a saudade, que gravou em disco da CBS.

A partir de 1964 passou a atuar em rádio e televisão, principalmente na TV Record. Atuou ainda como apresentador nos programas Excelsior a Go-Go (TV Excelsior), Bonzinhos Até Certo Ponto (TV Tupi) e Globo de Ouro (TV Globo). Tem realizado shows em todo o país e já empreendeu viagens ao exterior, exibindo-se na televisão mexicana e em Caracas, Venezuela, em 1972. No ano seguinte, apresentou-se nos E.U.A. e no Canadá, participando ainda do Festival de Ancón, em Lima, Peru, em 1974.

Estreou no cinema como ator em Essa gatinha é minha (produção de Herbert Richers e Jece Valadão, 1966), atuando como produtor associado e astro principal dos filmes Jerry, a grande parada e Em busca do tesouro, de 1967, ambos dirigidos por Carlos Alberto de Sousa Barros.

De 1964 a 1974 gravou cerca de um LP por ano, na CBS, totalizando quase 200 canções, entre as quais Querida (Don't Let Them Move, de Garret e Howard, versão de Rossini Pinto) e Um grande amor (l Knew Righf Away, de Cogan e Foster, versão de Romeu Nunes), do LP Um grande amor, de 1965; Ninguém poderá julgar-me (Nessuno mi puoi giudicare, de Panzeri, versão de Nazareno de Brito), do LP Devo tudo a você, de 1966; Quem não quer (Black is Black, de Hayes e Grainger, versão de Rossini Pinto), do LP Vivendo sem você, de 1967; Deve existir por aí (Getúlio Cortes), do LP Esperando você, de 1968: e Doce, doce amor (Raul Seixas e Mauro Mota), do LP Pensa em mim, de 1972.

Em 1990 lançou o LP Elvis vive, com versões em português de sucessos de Elvis Presley. Participou dos discos e shows intitulados 30 anos de Jovem Guarda, em 1995-1996. Em 1997 comemorou seus 50 anos de idade com um show no Teatro Popular do Sesi, em São Paulo, cantando Elvis Presley, Raul Seixas, Jovem Guarda e a geração 1980 do rock nacional.

Veja também:



Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha, SP, 1998.
Postar um comentário