sexta-feira, 14 de abril de 2006

Renato e Seus Blue Caps


Renato e Seus Blue Caps. Conjunto de música jovem formado por volta de 1960, no Rio de Janeiro RJ, pelo líder Renato Barros (Renato Cosme Vieira de Barros, Rio de Janeiro 1944-); Carlinhos (Carlos Alberto da Costa Vieira, Rio de Janeiro 1943-), guitarra-base; Tony (Carlos Antônio Pinheiro), bateria; Cid (Cid Rodrigues Chaves), sax-tenor; e Paulo César (Paulo César Vieira de Barros, Rio de Janeiro 1947-), baixo elétrico.

Apresentou-se inicialmente em clubes e festinhas no bairro da Piedade, onde moravam, procurando em seguida Jair de Taumaturgo, na Rádio Mayrink Veiga, passando a se apresentar em seu programa. Tempos depois, o conjunto foi convidado por Carlos Imperial para se apresentar em seu programa Os Brotos Comandam, na TV-Rio e na Rádio Guanabara.

Seu primeiro compacto duplo (33 rpm), gravado na CBS, incluiu Bigorrilho (Sebastião Gomes, Romeu Gentil e Paquito), We Like Birdland, Noturno em mi bemol e Vera Lúcia (os três de Renato Barros e Paulo C. V de Barros), conseguindo com esta última seu primeiro sucesso.

O conjunto gravou, em 1965, o LP Viva a Juventude, com o grande sucesso Menina linda (I Should Have Known Better, John Lennon e Paul McCartney, versão de Renato Barros). Apresentou-se no programa Jovem Guarda, de Roberto Carlos, lançando com sucesso O escândalo, (Shame and Scandal in the Family, Huon Donaldson e S. H. Brown, versão de Renato Barros).

Em 1966, saiu pela CBS novo LP, Um embalo com Renato e seus Blue Caps, destacando-se Até o fim (You Won't See Me, John Lennon e Paul McCartney, versão de Lilian Knapp).

Com o encerramento do programa Jovem Guarda, o grupo prosseguiu uma bem sucedida carreira como banda de bailes, continuando a gravar para a CBS. Paulo César Barros atua também como músico de estúdio em diversas gravadoras, principalmente na Philips, onde participou em todos os LPs de Raul Seixas. Renato Barros tem composições que fizeram sucesso com outros intérpretes, como Não há dinheiro que pague (Roberto Carlos) e A pobreza (Leno).

No início da década de 1980 o grupo passou a gravar apenas esporadicamente, tocando e cantando em bailes por todo o Brasil.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha.

Veja também:

Nenhum comentário: