quarta-feira, 31 de maio de 2006

Muita estrela, pouca constelação


Muita Estrela, Pouca Constelação (1987) - Raul Seixas e Marcelo Nova - Interpretação: Raul Seixas e Camisa de Vênus

CD Anarkilópolis (Compilação) / Título da música: Muita Estrela, Pouca Constelação / Raul Seixas (Compositor) / Marcelo Nova (Compositor) / Raul Seixas (Intérprete) / Camisa de Vênus (Intérprete) / Gravadora: Som Livre / Ano: 2003 / Nº Álbum: 3100-2 / Faixa 3 / Gênero musical: Rock.


Intro: (A F E A)

(A F E A)
A festa é boa tem alguém que tá bancando
Que lhe elogia enquanto vai se embriagando
E o tal do ego vai ficando nas alturas
Usar brinquinho pra romper as estruturas
(A F E A)
E tem um punk se queixando sem parar
E um wave querendo desmunhecar
E o tal do heavy arrotando distorção
E uma dark em profunda depressão

(G D) 
Eu sei até que parece sério, mas é tudo armação 
   (G)                                       (E) 
O problema é muita estrela, prá pouca constelação

(A F E A)
Tinha um junkie se tremendo pelos cantos
Um empresário que jurava que era santo
Uma tiete que queria um qualquer
E uma sapatão que azarava minha mulher
(A F E A)
Tem uma banda que eles já vão contratar
Que não cria nada mas é boa em copiar
A crítica gostou vai ser sucesso ela não erra
Afinal lembra o que se fez na Inglaterra

(REFRÃO)
E agora vem a vem a periferia

(A F E A)
O fotógrafo, ele vai documentar
O papo do mais novo big star
Pra'quela revista de rock e de intriga
Que você lê quando tem dor de barriga
(A F E A)
E o jornalista ele quer bajulação
Pos new old é a nova sensação
A burrice é tanta, tá tudo tão a vista
E todo mundo pousando de artista

(REFRÃO)
Postar um comentário