quarta-feira, 31 de maio de 2006

Gita


Foi um artigo sobre discos voadores, publicado por Paulo Coelho na revista A Pomba, em 1973, que levou Raul Seixas a conhecê-lo, embora, em entrevista ao Pasquim, ele tenha emprestado a esse encontro uma versão bem menos prosaica: “Eu conheci o Paulo na Barra da Tijuca, num dia em que eu tava lá. Às cinco horas da tarde eu tava lá meditando. Paulo também tava meditando, mas eu não o conhecia. Foi o dia em que nós vimos um disco voador. Enorme, rapaz, um negócio muito bonito.”

De um jeito ou do outro, o fato é que ainda em 73 Raul e Paulo assinariam juntos metade das músicas do disco Krig-Ha Bandolo e, um ano depois, a canção “Gita”, de grande sucesso, além de outras sete do elepê homônimo. Produto assim da parceria um roqueiro extravagante com um futuro autor de best-sellers esotéricos, “Gita” inspira-se na “Bhagavad-Gita” (“A Canção do Senhor”), que faz parte do Mahabharata e é considerado o mais importante texto sagrado do Hinduísmo. O poema milenar trata de um diálogo do Senhor (Krishna) com o guerreiro Arjuna que — num momento de desespero por ter de combater seus — o interpela sobre sua existência divina.

Vem daí o tema da canção, desenvolvido em dezenas de versos afirmativos: “Eu sou a luz das / eu sou a cor do luar / eu sou as coisas da vida / eu sou o medo de (...) / eu sou, eu fui, eu vou / (Gita, Gita, Gita, Gita, Gita) / eu sou o seu sacrifício / a placa de contramão / o sangue no olhar do vampiro / e as juras de maldição / eu sou a vela que acende / eu sou a luz que se apaga / eu sou a beira do abismo / eu sou o tudo e o nada...”

A composição é cantada por Raul de forma vigorosa, em tempo de rock, sustentada por um arranjo que procura criar um clima de mística suntuosidade. O sucesso de “Gita” proporcionou ao Maluco Beleza o seu primeiro disco de ouro. Anos depois, relançou em inglês com o título de “I Am” (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Gita (1974) - Raul Seixas e Paulo Coelho - Intérprete: Raul Seixas

LP Gita / Título da música: Gita / Raul Seixas (Compositor) / Paulo Coelho (Compositor) / Raul Seixas (Intérprete) / Gravadora:Philips / Ano: 1974 / Nº Álbum: 6349 113 / Lado B / Faixa 6 / Gênero musical: Canção / Rock.

D                               A
  "Eu que já andei pelos quatro cantos do mundo procurando,
E
   foi justamente num sonho que ele me falou"

   E                F#m
Às vezes você me pergunta
        B7                 E
Por que é que eu sou tão calado
    G#7                C#m
Não falo de amor quase nada
    F#7                  B7
Nem fico sorrindo ao teu lado

  C                    B7
Você pensa em mim toda hora
   C                  B7
Me come, me cospe, me deixa
    C             B7
Talvez você não entenda
    C                    B B7
Mas hoje eu vou lhe mostrar

    A               E
Eu sou a luz das estrelas
    A             E
Eu sou a cor do luar
    A               E
Eu sou as coisas da vida
    D              E
Eu sou o medo de amar

    A             E
Eu sou o medo do fraco
   A               E
A força da imaginação
   A            E
O blefe do jogador
    D       A       E
Eu sou, eu fui, eu vou

Gita gita gita gita gita

    A             E
Eu sou o seu sacrifício
   A               E
A placa de contra-mão
   A                    E
O sangue no olhar do vampiro
     D              E
E as juras de maldição

    A               E
Eu sou a vela que acende
    A                E
Eu sou a luz que se apaga
    A               E
Eu sou a beira do abismo
    D    A        E
Eu sou o tudo e o nada

E                  F#m
Por que você me pergunta
   B7                     E
Perguntas não vão lhe mostrar
    G#7             C#m
Que eu sou feito da terra
   F#7                B7
Do fogo, da água e do ar

  C              B7
Você me tem todo dia
        C                 B7
Mas não sabe se é bom ou ruim
     C                      B7
Mas saiba que eu estou em você
      C                B B7
Mas você não está em mim 

    A                  E
Das telhas eu sou o telhado
   A             E
A pesca do pescador
   A              E
A letra A tem meu nome
    D                 E
Dos sonhos eu sou o amor

    A            E
Eu sou a dona de casa
    A                E
Nos pegue-pagues do mundo
    A               E
Eu sou a mão do carrasco
    D      A         E
Sou raso, largo, profundo

Gita gita gita gita gita

    A             E
Eu sou a mosca da sopa
     A            E
E o dente do tubarão
    A              E
Eu sou os olhos do cego
       D           E
E a cegueira da visão

        A               E
Mas eu sou o amargo da língua
   A              E
A mãe, o pai e o avô
  A                    E
O filho que ainda não veio
   D         A       E
O início, o fim e o meio (2x)
          D         A       E
Eu sou o início, o fim e o meio (2x)
Postar um comentário