quinta-feira, 6 de abril de 2006

Dorival Caymmi


Dorival Caymmi, compositor baiano, nascido em 30 de abril de 1914, é responsável em grande parte pela imagem que a Bahia tem hoje em dia, seu estilo inimitável de compor e cantar influenciou várias gerações de músicos brasileiros. Em Salvador teve vários trabalhos antes de tentar a sorte como cantor de rádio, e como compositor ganhou um concurso de músicas de carnaval em 1936. Dois anos mais tarde foi para o Rio de Janeiro com o objetivo de realizar o curso preparatório de Direito e talvez arranjar um emprego como jornalista, profissão que já havia exercido em Salvador. Mas, incentivado pelos amigos, muda de idéia e resolve enveredar para a música.

Primeiro, por obra do acaso, tem sua música O que é que a baiana tem? incluída no filme Banana da Terra, estrelado por Carmen Miranda. Em seguida sua música O mar foi colocada em um espetáculo promovido pela então primeira-dama Darcy Vargas. Daí em diante seu prestígio foi se ampliando.

Passou a atuar na Rádio Nacional, onde conheceu a cantora Stella Maris, com quem se casou em 1940 e permanece casado até hoje. Seus filhos Dori, Danilo e Nana também são músicos. As canções que celebrizaram Caymmi versam na maioria das vezes sobre temas praieiros ou sobre a Bahia e as belezas da terra, o que colaborou para fixar, de certa forma, uma imagem do Brasil para o exterior e para os próprios brasileiros.


Em 60 anos de carreira, Dorival Caymmi gravou cerca de 20 discos, mas o número de versões de suas músicas feitas por outros intérpretes é praticamente incalculável. Sua obra, considerada pequena em quantidade, compensa essa falsa impressão com inigualável número de obras-primas.

Algumas cifras e letras

A jangada voltou só
A lenda do Abaeté
Acalanto
Das rosas
Dora
Doralice
É doce morrer no mar
Eu não tenho onde morar
Festa de rua
João Valentão
Lá vem a baiana
Maracangalha
Marina
Milagre
Modinha para Gabriela
Não tem solução
Nem eu
Nunca mais
O bem do mar
O mar
O que é que a baiana tem?
O samba da minha terra
Oração da Mãe Menininha
Peguei um ita no Norte
Requebre que eu dou um doce
Rosa morena
Sábado em Copacabana
São Salvador
Saudade
Saudade da Bahia
Saudades de Itapoã
Só louco
Suíte dos pescadores
Um vestido de bolero
Vatapá
Vento
Você já foi à Bahia?

Obra completa

Acaçá, samba, 1984; Acalanto, canção de ninar, 1957; Acontece que eu sou baiano, samba, 1943; Adalgisa, samba de roda, 1964; Adeus, samba, 1948; Afoxé, s.d.; Amor delicado (c/João de Barro), samba-jongo, 1946; Anjo da noite (c/Danilo Caymmi), toada, s.d.; Até as pedras da rua (c/Osvaldo Santiago), marcha, 1941; A Bahia também dá, 1936; Balada do rei das sereias (Manuel Bandeira), balada, s.d.; Balaio grande (c/Osvaldo Santiago), samba, 1941; Beijos pela noite (c/Jorge Amado e Carlos Lacerda), modinha, s.d; O bem do mar, cançao praieira, 1973; Cala boca, menino, capoeira, s.d.; Canção antiga, s.d.; Canção da noiva, 1964; Canção da primeira netinha, canção de ninar, s.d.; Canoeiro (Pescaria), canção praieira, 1950; Cantiga, cançao, 1948; Cantiga de cego (c/Jorge Amado), samba, s.d.; Canto de Nanã, samba, 1972; Canto de Obá, samba, 1972; Chorei na cancela, samba, s.d.; Das rosas, valsa-samba, 1964; O dengo que a nega tem, samba, 1941; Desde ontem, samba-canção, s.d.; Dois de Fevereiro, samba, 1957; Dona Chica, 1972; Dora, samba-frevo, 1945; Doralice (c/Antonio Almeida), samba, 1945; É doce morrer no mar (c/Jorge Amado), toada, 1941; E eu sem Maria (c/Alcir Pires Vermelho), samba, 1952; Essa nega fulô (c/Osvaldo Santiago), samba, s.d.; Eu cheguei lá, samba, 1972; Eu fiz uma viagem, toada, 1956; Eu não tenho onde morar, samba, 1960; Festa de rua, cena baiana, 1948; Flor da noite, 1984; Francisca Santos das Flores, canção a portuguesa, 1984; História de pescadores, samba, 1957; História pra sinhozinho, canção de ninar, 1945; Horas, valsa, s.d.; laia, 1984; A jangada voltou só, canção praieira, 1941; João Valentão, samba-cancão, 1953; Lá vem a baiana, samba, 1947; Lá vem formosa (c/Alberto Ribeiro), samba, 1945; Lembranca do passado (c/Carlos Guinle), samba-canção, 1950; A lenda do Abaeté, canção, 1948; A mãe d’agua e a menina, marcha, 1984; O mar, canção, 1939; Maracangalha, samba, 1956; Maricotinha, samba, s.d.; Marina, samba-canção, 1947; Marcha dos pescadores, marcha, 1972; Melodia do meu bairro, samba, s.d.; Milagre, s.d.; Modinha de Gabriela, 1975; Modinha para Teresa Batista (c/Jorge Amado), valsa, s.d.; Morena do mar, samba, 1972; Na cancela, samba, s.d.; Não tem solução (c/Carlos Guinle), samba-canção, 1952; Nem eu, samba-canção, 1953; Nesta rua tão deserta (c/Carlos Guinle, Klein e Hugo Lima), samba-canção, 1954, Ninguém sabe (c/Carlos Guinle), samba-canção, s.d., No sertão, toada, 1930; Noite de temporal, canção praieira, 1940; Nunca mais, samba-canção, 1949; O que é que a baiana tem?, samba, 1938; O que é que dou (c/Antônio Almeida), samba, 1947; Oração da mae Menininha, samba, 1972; Peguei um ita no Norte, toada, 1945; Pescaria, cena praieira, 1944; A preta do acarajé, samba, 1939; Por quê?, samba, s.d.; Promessa de pescador, canção, praieira, 1939; Quem vem pra beira do mar, toada, 1954; Rainha do mar, cantiga dos pescadores, 1939; Recordação... Saudade..., samba, 1949; Requebre que eu dou um doce, samba, 1941; Retirantes, marcha, s.d.; Roda, pião, canção de roda, 1939; Rosa morena, samba, 1942; Rua deserta (c/Carlos Guinle e Hugo Lima), samba, 1954; Sábado em Copacabana (c/Carlos Guinle), samba-canção, 1951; Samba da minha terra, 1940; Santa Clara clareou, canção, 1972; São Salvador, samba, 1960; Sargaço mar, canção, 1975; Saudade (c/Fernando Lobo), samba, 1947; Saudade da Bahia, samba, 1957; Saudade de ltapoã, canção, 1948; Sem os carinhos teus (c/Osvaldo Santiago), samba, 1940; Seu defeito é não ter (c/Osvaldo Santiago), marcha, 1942; Só louco, samba, 1955; Sodade matadera, toada, 1948; Suíte dos pescadores (Historia dos pescadores), 1965; Tão só, samba-canção, 1953; Tem dó (c/Alberto Ribeiro, Antonio Almeida e João de Barro), samba, 1943; Tema sem nome, 1984; Trezentas e sessenta e cinco igrejas, samba, 1946; Valerá a pena (c/Carlos Guinle), samba, 1954; Vamos falar de Teresa, samba, s.d.; Vamos ver como dobra o sino, toada, s.d.; Vatapá, samba, 1942; Velhas histórias (c/Danilo Caymmi), 1986; O vento, canção praieira, 1949; Vestido de bolero, samba, 1943; A vizinha do lado, samba, 1946; Você já foi à Bahia?, samba, 1941; Você não sabe amar (c/Carlos Guinle e Hugo Lima), samba-canção, 1950; Vou ver Juliana, samba, 1972.

Nenhum comentário: