sábado, 29 de julho de 2006

Divino maravilhoso



Caetano e Gil, pela primeira vez em um festival, formaram uma parceria, e com a mudança de nome da “Gracinha”, a Maria da Graça, para Gal Costa, diziam que tudo era perigoso no seu Divino Maravilhoso. Na foto: Gal Costa defendendo "Divino Maravilhoso". Festival de 1968.

Divino maravilhoso (1968) - Caetano Veloso e Gilberto Gil
A      C#
Atenção ao dobrar uma esquina
 A             C#
Uma alegria, atenção menina
 D          E
Você vem, quantos anos você tem?
 A         C#
Atenção, precisa ter olhos firmes
 D              E
Pra este sol, para esta escuridão
 A
Atenção
G#m7(b5)     C#7
Tudo é perigoso
F#m                D G
Tudo é divino maravilhoso
A    D     C#7(b9) F#m
Atenção para o refrão
A                 Em
É preciso estar atento e forte
     A                Em
Não temos tempo de temer a morte (2x)
 A       C#
Atenção para a estrofe e pro refrão
 A            C#
Pro palavrão, para a palavra de ordem
  D       E
Atenção para o samba exaltação
A
Atenção
G#m7(b5)     C#7
Tudo é perigoso
F#m                D G
Tudo é divino maravilhoso
A    D     C#7(b9) F#m
Atenção para o refrão
A                 Em
É preciso estar atento e forte
     A                Em
Não temos tempo de temer a morte (2x)
 A       C#
Atenção para as janelas no alto
 A      C#
Atenção ao pisar o asfalto, o mangue
 D       E
Atenção para o sangue sobre o chão
A
Atenção
G#m7(b5)     C#7
Tudo é perigoso
F#m                D G
Tudo é divino maravilhoso
A    D     C#7(b9) F#m
Atenção para o refrão
A                 Em
É preciso estar atento e forte
     A                Em
Não temos tempo de temer a morte (2x)
 
 
Postar um comentário