quarta-feira, 12 de julho de 2006

Verde

Assistindo no Vale do Anhangabaú a uma manifestação pelas eleições “diretas já”, Eduardo Gudin e Costa Neto resolveram registrar numa música aquela sensação de retorno à democracia, vivida pelo povo brasileiro na ocasião. Gudin, sugerindo que a letra deveria enfatizar a cor verde, desenvolveu então um esboço de melodia que já tinha em mente.

A primeira parte (A) da canção, em sol maior, era sucedida por uma segunda (B) em sol menor, porém a sequência final, com o mesmo motivo de A, tinha uma modulação para si bemol maior. Esta interessante resolução levanta a música, provocando um explosivo entusiasmo: “Verde as matas no olhar / ver de perto / ver de novo um lugar / ver adiante / sede de navegar / verdejantes tempos / mudança dos ventos no meu coração...”

“Verde” foi inscrita no Festival dos Festivais, concorrendo com 10.314 músicas, das quais 48 seriam classificadas para as quatro eliminatórias. Este festival seria uma tentativa da Rede Globo de reverter a criticada imagem dos MPB-Shell de 80, 81 e 82, em que a pontuação das notas de um júri de duzentas pessoas, de discutível competência, gerou comentários desfavoráveis.

Mas, voltando a “Verde”, aconteceu que o cantor Lula Barbosa, o intérprete na fita de inscrição, tinha também uma composição classificada, “Mira Ira”. Por isso um dos jurados, César Camargo Mariano, sugeriu aos autores o aproveitamento de uma cantora que o impressionara na fita de uma concorrente. A cantora era a paraense Leila Pinheiro, que, apresentada a Gudin e Neto no ensaio da quarta eliminatória, acabou classificando a composição.

Na final, Leila levou “Verde” à terceira colocação superada apenas por “Escrito nas Estrelas” e “Mira Ira” — e ainda foi considerada a revelação do festival. Em seguida, contratada pela PolyGram, ela regravaria “Verde” em seu primeiro elepê, Olho nu, lançado em maio de 86. Passados vários anos, pode-se dizer que esta canção (ao lado de “Escrito nas Estrelas”) foi a música que ficou do Festival dos Festivais, beneficiando a carreira de três artistas: Leila Pinheiro, como cantora, Costa Neto, como letrista, e Eduardo Gudin, como um dos mais férteis compositores paulistas de sua geração (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Verde (1985) - Eduardo Gudin e José Carlos Costa Neto - Intérprete: Leila Pinheiro

LP Olho Nu / Título da música: Verde / Eduardo Gudin (Compositor) / J. C. Costa Neto (Compositor) / Leila Pinheiro (Intérprete) / Gravadora: Polygram / Ano: 1986 / Nº Álbum: 830 144-1 / Lado A / Faixa 4 / Gênero musical: Samba / Bossa Nova / MPB.


Intro:   Cm7   Ab7+     Fm7     Ab/Bb    G6

G6                Gº            G6                Gº
Quem pergunta por mim, já deve saber, do riso no fim
           F6                E4/7    E7/9-        C#m5-/7
De tanto sofrer, que eu não desisti, das minhas bandeiras,
              C7+        D7/9-
Caminho, trincheiras, da noite
G6                Gº               G6
Eu, que sempre apostei, na minha paixão
           Gº            F6                E4/7   E7/9-   C#m5-/7
Guardei um país no meu coração, um foco de luz, seduz a razão
             C7+        D7/9-    Gm7           F/G
De repente a visão da esperança, quis esse sonhador
G7/5+  Ab7+      Ab4/7    Db7+                 Dm7/5-
Aprendiz de tanto suor, ser feliz num gesto de amor
                    G5+/7 Db7/9
Meu país acendeu a cor

REFRÃO:  
Cm7       F7         Cm7   F7
Verde, as matas no olhar, ver de perto
 Bb7+           Bbo
Ver de novo um lugar, ver adiante
 Ab6       F/G     G7/5+      C7/13
Sede  de navegar, verdejantes tempos
 C5+/7        Eb/F    F7/9-   Bb7+  D7/9-
Mudança dos ventos no meu coração
G6               Gdim
Eu que sempre apostei
           G6
Na minha paixao
            Gdim
Guardei um pais
         F6
No meu coracao
            E7
Um foco de luz
E7/9-    C#m5-/7
Seduz a razao
               C7+       D7/9-
De repente a visao da esperanca
Gm7          F/G
Quis esse sonhador
G5+/7   Ab7+
Aprendiz de tanto suor
Ab7/13   Db7+
Ser    feliz num gesto de amor
Dm5-/7              G5+/7 Db7/9
Meu pais acendeu  a cor
 Cm7        F7      Cm7
Verdes as matas no olhar
F7      Bb7+
Ver de perto 
                Bbdim
Ver de novo um lugar

Ver adiante
Ab6       F/G
Sede de navegar
G5+/7        C7/13 C5+/7
Verdejantes tempos
              Eb/F     F7/9-
Mudancas dos ventos no meu
     Bb7+ E7/9 Eb7+ G#5+/7
  coracao
 C#m7      F#7      C#m7
Verdes as matas no alhar
F#7
Ver de perto
B7+             Bdim
Ver de novo um lugar

Ver adiante
A6        F#/G
Sede de navegar
G#5+/7       C#7/9
Verdejantes tempos
              E7+        F#7
Mudancas dos ventos no meu
    Bb7+
  coracao
F7            E7+
Verdejantes tempos
D#m7          C#m7     F#7
Mudancas dos ventos no meu
    B7+
  coracao...
Postar um comentário