sexta-feira, 28 de julho de 2006

Influência do jazz

Carlinhos Lyra
Em setembro de 1961, Carlos Lyra fundou, juntamente com Oduvaldo Viana Filho, Ferreira Gullar e outros companheiros, o CPC (Centro Popular de Cultura) da União Nacional dos Estudantes. Na ocasião, o compositor começava a considerar a bossa nova apenas uma forma musical moderninha de repetir as mesmas coisas românticas de sempre.

Isso refletiu-se em sua produção que, sem afastar-se de todo do romantismo, passou a tomar contornos nacionalistas, a partir de composições como “Mister Golden”, “Canção do Subdesenvolvido” e este surpreendente “Influência do Jazz”, que questionava tendências observadas em sambas da época (“Pobre samba meu / foi se misturando, se modernizando / e se perdeu...”). Bem sincopado, o samba mesclava tradição e modernidade, lembrando sua melodia, propositalmente, canções americanas como “Indian Love Call”, da opereta “Rose-Marie” e “You Were Meant for Me”, do filme “Cantando na Chuva”.

“Influência do Jazz” foi lançado pelo Tamba Trio (Luís Eça, Hélcio Milito e Bebeto) num programa de Zé Trindade, transmitido aos domingos pela TV Rio. O motivo da presença do Tamba no programa cômico era que seus componentes estavam iniciando carreira e o pessoal da televisão arranjara aquela brecha no horário nobre para apresentá-los, embora o conjunto e a música nada tivessem a ver com o humor do Zé. Em seguida, “Influência do Jazz” tornou se sucesso, sendo até executado duas vezes no famoso show de bossa nova no Carnegie Hall, por Lira e o Quarteto de Oscar Castro Neves (A Canção no Tempo - Vol. 2 - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - Editora 34).

Influência do Jazz (samba, 1962) - Carlos Lyra

LP Depois do Carnaval - O Sambalanço de Carlos Lyra / Título da música: Influência do jazz / Carlos Lyra (Compositor) / Carlos Lyra (Intérprete) / Gravadora: Philips / Ano: 1962 / Álbum: P 630.492 L / Lado A / Faixa 2 / Gênero musical: Samba.


Em7   A7(b9) D7M  B7(b9)
Pobre samba  meu
            Em7             A7/9           D7M  D6/9
Foi se misturando se modernizando, e se perdeu
        Am7                 D7(b9)
E o rebolado cadê?, não tem mais
              G#m7(b5)               Gm6
Cadê o tal gingado    que mexe com a gente
                D6/F#   F°       Em7
Coitado do meu samba  mudou de repente 
     A7/13    D6/9    B7(b9)
Influência do jazz

Em7      A7(b9)     D7M    B7(b9)
   Quase que      morreu
           Em7                  A7/9            D7M
E acaba morrendo, está quase morrendo, não percebeu
D6/9               Am7                  D7(b9)
     Que o samba balança de um lado pro outro
             G#m7(b5)                Gm6
O jazz é diferente,   pra frente pra trás
               D6/F#   F°       Em7
E o samba meio morto ficou meio torto 
     A7/13    D6/9
Influência do jazz

G#m7/11  G7(#11)    F#m7   B7/9  F#m7      B7/9
                 No afro-cubano, vai complicando
F#m7     B7/9  F#m7  B7/9
Vai pelo cano, vai
G#m7     C#7/9  G#m7       C#7/9
Vai entortando, vai sem descanso
F#m7  Fm7   Em7         A7(b9)
Vai,  sai,  cai... no balanço!

Em7   A7(b9) D7M  B7(b9)
Pobre samba  meu
             Em7            A7/9          D7M  D6/9
Volta lá pro morro e pede socorro onde nasceu
               Am7               D7(b9)
Pra não ser um samba com notas demais
                 G#m7(b5)               Gm6
Não ser um samba torto   pra frente pra trás
                  D6/F#       F°       Em7 
Vai ter que se virar    pra poder se livrar
        A7/13    D6/9
Da influência do jazz
Postar um comentário