sexta-feira, 28 de julho de 2006

Labaredas

Labaredas - Cartola e Hermínio Bello de Carvalho

Vou me desacorvardar dizendo não
A um coração que fez só desagasalhar
Quem o abrigou
Profanou, sem se importar
E destruiu, sem mais pensar,
O essencial de mim
Me atiçando um fogo em mim...

Mas pode um incêndio alastrar-se ao coração
Que as labaredas nem vão sequer provocar
um só perdão
Quantas pedras não terá para atirar de novo
em mim?
Me subestimar, prá quê?
Não vou!

E quando o remorso invadir seu sono, então,
Meu coração não vai nem sequer se vergar
à sua dor
Debelar o incêndio vai ser impossível só porque
Quem brincou com o fogo foi
Você
Postar um comentário