sábado, 8 de setembro de 2007

Olorum

P. C. Pinheiro
Olorum - Sérgio Santos e Paulo César Pinheiro

Por que padece tanto
O povo de Olorum?
Quando eu pergunto a Zâmbi
Não tem eco algum.
Por que tanto amargor?
Por que, me diz, Xangô?
Ô justiceiro,
Por que ele é sofredor?

Por que a paz não chega
Ao coração Nagô?
Quando eu pergunto,
Escuto o seu bata-cotô.
Por que que o baticum,
Me diga agora, Ogum,
Santo guerreiro,
Tem que ser de lutador?

Por que se diz que o preto
Que é de cor?
Por que que o Kêtu
Tem que ter sinhô?
Olorum, Oxalá, Zâmbi, ô!
Por que que o Bantu
Quer cantar o amor
E o canto é de dor?
Postar um comentário