quarta-feira, 14 de junho de 2006

Maria Maria

O tema de “Maria, Maria” já existia sem letra desde 1976, quando foi composto por Milton para um balé do Grupo Corpo, com roteiro de Fernando Brant inspirado em várias mulheres negras de nome Maria, que trabalharam em sua casa ao tempo em que ele vivia em Diamantina.

Dançando este balé com a trilha gravada — na qual Milton cantava o tema na base de “lá-lálás”, acompanhado de violão — o Grupo Corpo excursionou pelo país e o exterior, ganhando fama e dinheiro.

Então Milton pediu a Fernando uma letra a fim de incluir a música no disco Clube de esquina 2, o que não representou muito trabalho para o poeta, que bastou sintetizar o seu próprio roteiro, praticamente aprontando o poema no intervalo de um jogo do Brasil na Copa de 78: “Maria, Maria / é um dom, uma certa magia / uma força que nos alerta / uma mulher que merece viver e amar / como outra qualquer do planeta...”

Permaneceria sem letra somente um interlúdio, em movimento ascendente, que o compositor cantarola como na trilha do balé. A gravação de “Maria, Maria” é um dos pontos altos de Clube da esquina 2, com Milton dando-lhe uma vigorosa e vibrante interpretação, que ajudou a canção a tornar-se uma das preferidas do público. “Maria, Maria” é, pode-se dizer, um marco nessa fase da carreira de Milton Nascimento, em que ele passa a ser um cantor das Américas (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Maria, Maria (1978) - Milton Nascimento e Fernando Brant - Intérprete: Milton Nascimento

LP Clube Da Esquina 2 / Título da música: Maria, Maria / Milton Nascimento (Compositor) / Fernando Brant (Compositor) / Milton Nascimento (Intérprete) / Gravadora: EMI-Odeon / Ano: 1978 / Nº Álbum: 164 422831/2 / Disco 2 / Lado B / Faixa 2 / Gênero musical: Canção / MPB.


(intro 2x)  D A/D F/D G/D D#/D D D9/C# Bm Bm/A G C E/B Bb D

   D                A/D      F/D      G/D
Maria, Maria, é um dom, uma certa magia
     D#/D      D    D9/C#
Uma força que nos alerta
Bm     Bm/A      G              C
Uma mulher que merece viver e amar
      E/B        Bb        D
Como outra qualquer do planeta

D                  A/D      F/D      G/D
Maria, maria, é o som, é a cor, é o suor
     D#/D      D       D9/C#
É a dose mais forte e lenta
Bm      Bm/A      G               C
De uma gente que ri quando deve chorar
       E/B    Bb      D
E não vive, apenas aguenta

(refrão)
D                  D7+         D7       D6
Mas é preciso ter força, é preciso ter raça
      C7(5)       D    D9/C#
É preciso ter gana sempre
Bm            Bm/A    G
Quem traz no corpo a marca
         C        E/B    Bb          D
Maria, Maria, mistura a dor e a alegria

D                  D7+         D7       D6
Mas é preciso ter manha, é preciso ter graça
      C7(5)       D    D9/C#
É preciso ter sonho sempre
Bm            Bm/A      G
Quem traz na pele essa marca
             C       E/B    Bb        D
Possui a estranha mania de ter fé na vida
Postar um comentário