sábado, 18 de setembro de 2010

Do sorriso das mulheres nasceram as flores

Vicente Celestino
Do sorriso da mulher nasceram as flores (tango de salão, 1921) - Eduardo Souto e Lélio de Aragão / Intérprete: Vicente Celestino / Lp Vicente Celestino - Saudade, Palavra Doce - RCA Victor (1960)


Mulher o teu sorriso parece um céu
Um grande altar do deus do amor
Onde as estrelas vem rezar, cantar, sonhar
Santificando a minha dor
No iluminar dos olhos teus
E um coração aberto em flor
Tens tu mulher toda fragrância
Das orquídeas cintilantes
Redolentes e gracis

A cintilar, a cintilar num céu de amor
Em que fala um poema
Feito de beijos ao luar
Um ninho de sincero afeto
Onde dois pombinhos
Vivem sempre a se arrolar e a se beijar
Quero a morte nos teus lábios
Num doce encanto de magia
Do aljôfar de um beijo teu
Do teu sorriso que fascina, inebria

Suspirar, soluçar com tristor e amargor
O carpir da desdita do amor
E adorar e crer 
Suplicar, implorar com ardor, e dulçor
O sorrir dos teus lábios em flor
E sentir o prazer de um ditoso e perenal amor

No iluminar dos olhos teus
E um coração aberto em flor
Tens tu mulher toda fragrância
Das orquídeas cintilantes
Redolentes e gracis
A cintilar, a cintilar um céu de amor.
Postar um comentário